DestaqueProcesso de adoção

A humanização do processo de adoção e os benefícios de um processo humanizado

Sobre a humanização do processo de adoção e os benefícios de um processo humanizado.

Estamos numa era hiper tecnológica onde praticamente tudo o que fazemos transforma-se em um número de processo ou gera um protocolo. Estamos informatizando e planilhando tudo, até mesmo tarefas domésticas e tempo de qualidade em família. Em decorrência disso, tem surgido um clamor pela humanização em várias áreas da nossa vida.

Humanização é a ação ou efeito de humanizar, de tornar humano ou mais humano, tornar benévolo, tornar afável. A humanização é um processo que pode ocorrer em várias áreas. Sempre que ocorre, a humanização cria condições melhores e mais humanas para os trabalhadores de uma empresa ou utilizadores de um serviço ou sistema. O processo de humanização implica a evolução do Homem, pois ele tenta aperfeiçoar as suas aptidões através da interação com o seu meio envolvente. Para cumprir essa tarefa, os indivíduos utilizam recursos e instrumentos como forma de auxílio. A comunicação é uma das ferramentas de grande importância na humanização.

Humanizar significa atribuir caráter humano a; conceder ou possuir condição humana. Tornar-se benéfico; fazer com que seja tolerável; humanizar-se: humanizar um ofício, uma doutrina; o governo humanizou-se quando ouviu o povo.

Quando falamos de processo de adoção, normalmente abordamos a questão do processo jurídico em si. Já falamos sobre isso aqui no blog neste post.

Porém, já estava em tempo de humanizar o processo de formação de uma família através da adoção.

Por muitos anos para os olhos do judiciário as famílias que pretendiam adotar eram vistas apenas como um processo. Porém, este cenário tem mudando gradativamente com o árduo trabalho que vem sendo desenvolvido pela ANGAAD (Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção), pelos grupos de apoio à adoção espalhados pelo país e pelas famílias adotantes, para estabelecer uma nova cultura de adoção no Brasil.

adocao-gravidez-invisivel-blog

adocao-gravidez-invisivel-blog

Nos últimos anos avançamos bastante.

Hoje, segundo o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), os habilitados para adoção devem obrigatoriamente participar de um curso preparatório. Quando fui habilitada há quase cinco anos atrás ainda não tinha este curso na minha comarca.

Parágrafo 1 Artigo 197C da Lei nº 8.069 de 13 de Julho de 1990

Art. 197-C. Intervirá no feito, obrigatoriamente, equipe interprofissional a serviço da Justiça da Infância e da Juventude, que deverá elaborar estudo psicossocial, que conterá subsídios que permitam aferir a capacidade e o preparo dos postulantes para o exercício de uma paternidade ou maternidade responsável, à luz dos requisitos e princípios desta Lei. (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009) Vigência
§ 1o É obrigatória a participação dos postulantes em programa oferecido pela Justiça da Infância e da Juventude preferencialmente com apoio dos técnicos responsáveis pela execução da política municipal de garantia do direito à convivência familiar, que inclua preparação psicológica, orientação e estímulo à adoção inter-racial, de crianças maiores ou de adolescentes, com necessidades específicas de saúde ou com deficiências e de grupos de irmãos. (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009) Vigência
Foto: Eu que ti

Foto: Eu que ti

Este blog surgiu justamente de um clamor interno que eu tinha pela humanização da formação da minha família através da adoção.

Durante o processo para a habilitação eu me sentia como uma TENTANTE. No deferimento da habilitação para adoção chegou o meu POSITIVO da GESTAÇÃO DO CORAÇÃO, que seria este período de espera pela criança/adolescente dentro do perfil estabelecido. Este período pode e deve ser muito festejado e registrado. Também queremos vestir roupas de gestante feliz. A tão esperada ligação da chegada da minha vez na fila trouxe o meu tão sonhado PARTO DO CORAÇÃO. E chegou o pós-parto, já somos uma FAMÍLIA, que também precisa de apoio dos familiares, psicológicos, e de muita EMPATIA. O novo integrante da família pode ser recebido com muito amor num CHÁ DE BOAS-VINDAS! Conheça todos estes termos no dicionário da ADOÇÃO e da GESTAÇÃO DO CORAÇÃO.

Minha missão hoje é seguir adiante com este processo de humanização do processo de adoção. Adoção é apenas mais uma forma de se formar uma família, e humanizar este processo certamente nos ajudará a quebrar tabus e combater preconceitos infundados.

Juntos somos mais fortes!

Beijos com carinho,
Luciane
www.gravidezinvisivel.com
Post anterior

Indicação de livro sobre adoção: Pedagogia da Adoção, Luiz Schettini Filho, Editora Vozes

Próximo post

Adoção e a mudança (ou não) do nome da criança que foi adotada

Luciane Moreira Cruz

Luciane Moreira Cruz

Gaúcha de nascimento, inglesa de coração. Administradora por profissão, blogueira por uma causa. Venturosamente esposa do Filipe e mãe dos príncipes Noah e Luca. Fui abençoada com uma família maravilhosa e amigos preciosos. Sonhadora ao exponencial infinito. Essencialmente uma caçadora de Deus. Acredito no bem e que ele sempre vence o mal, que menos também pode ser mais e que a felicidade pode sim virar rotina. Já fui mais organizada, a maternidade me trouxe outras prioridades, mas amo etiquetas organizacionais! Possuo muita determinação e persistência para lutar pelo amor e pela justiça. Amo os animais, especialmente meu cão e fiel escudeiro Johnny e a espoleta Amora. Por aqui, compartilho as experiências vividas durante o período de gestação do coração (gravidez invisível) e sobre o universo da formação de uma família através adoção. Tenhos muitos sonhos, um deles é pelo direito que toda criança tem de viver em família recebendo amor, carinho e respeito. Outro é contribuir para uma nova cultura da adoção no meu país. Desejo que você encontre aqui apoio e que saia daqui com novas ideias. Seja sempre bem-vindo!

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *