Depoimento do leitor

Minha história de adoção: “Meu pai se apaixonou por aqueles olhinhos e naquele momento sabia que Deus havia lhe entregado uma vida para cuidar e amar…” Bruna

“Meu nome é Bruna e eu sou uma mulher abençoada por Deus.
É por Deus que eu estou aqui hoje, sem Ele nada disso aconteceria em minha vida.
Vamos a minha história.
Bom, desde que me entendo por gente sei que fui adotada, e diferente do que muitas pessoas pensam eu não me envergonho e nem me sinto mal por isso. Aliás foi através da adoção que hoje eu sou a pessoa que sou!!!
Minha genitora se chamava Heloísa e tudo que sei sobre ela é que era nova e que nem a sua família nem a família do genitor, muito menos ele iriam apoia-la e não desejavam essa criança.
Por isso eu digo que é realmente propósito de Deus.
Rose Mary, casada com Antônio Carlos, tinha o sonho de ser mãe como toda mulher, entretanto teve um mioma que englobou o útero e por isso teve que retirá-lo aos 28 anos de idade.
Em um belo dia, enquanto trabalhava no INSS se sentiu mal e foi até a enfermaria para auferir a pressão. Após o atendimento médico, a enfermeira disse a ela sobre uma garotinha que tinha acabado de nascer e que seria entregue para adoção. Antigamente, em 1992, as coisas não eram tão burocráticas e tão demoradas como são atualmente.
Mais do que depressa ela não pensou duas vezes, ligou para seu marido e contou sobre a notícia, pois era desejo de seu coração ser mãe. Antônio Carlos ainda assustado com tudo isso, com apenas 3 anos de casado dizia que ainda não estava preparado para ser pai, mas acabou aceitando a ideia de apenas ver o bebê. Chegaram no hospital evangélico em Belo Horizonte para ver a pequena menina que havia nascido há alguns dias…
Entraram na sala do berçário e olharam aquela menina pequenininha, pretinha, dos olhos pequenininhos…
adoção brunaAntônio Carlos diz que se apaixonou, se apaixonou por aqueles olhinhos e naquele momento sabia que Deus havia lhe entregado uma vida para cuidar e amar e que aquela menina seria sua filha. Todos ficaram muito encantados..
Foi tudo muito rápido, tudo correu conforme a vontade de Deus. E com poucos dias aquele bebezinho foi morar na casa dos Braga, e ela recebeu o nome de Bruna Sara Silva Braga.
Sou completamente agradecida a Deus pela família que Ele me deu. Minha família. Minha base. Meu alicerce.
Um tempo após a minha vinda comecei a pedir mamãe uma irmanzinha já sentia falta de alguém para brincar não é verdade?? Sabe o que minha mãe me disse, e eu lembro até hoje, quando tinha três anos de idade – pede ao papai do céu sua irmanzinha e Ele vai te dar. Eu como criança e obediente, mais do que depressa fiz aquelas orações por um bom tempo. E adivinha??? Deus respondeu minha oração.
Nascia no dia 13 de junho de 1996 Débora, lá em Alfenas, minha irmanzinha cabeludinha, pequenininha, que eu tanto esperava.
Obrigada Senhor por sermos exemplo vivo da sua fidelidade na vida de nossa família!!
E assim somos nós. Todos somos um e juntos somos MELHORES!

Bruna”

Post anterior

Quando o Coração dá à Luz por Elenízia Bernardes

Próximo post

Reflexão: O começo da vida... e a família constituída por adoção por Gilmara Lupion Moreno

Gravidez Invisível

Gravidez Invisível

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *