Gestação do coraçãoPré-natal da adoçãoSobre a autora

Como surgiu o blog Gravidez Invisível?

keep calm poster

Desde que me conheço por gente eu tinha o sonho de vivenciar a maternidade através da adoção. Minha mãe biológica faleceu quando eu tinha três anos e fui adotada pelos meus padrinhos. Minha mãe (adotiva) é irmã da minha mãe (biológica). Quando conheci meu marido tive mais certeza de que este era o plano de Deus para minha vida pois ele me contou que não poderia gerar filhos biológicamente, mas que podia gerar através da adoção. Lindo isso, né? A gestação da adoção é gerada através do amor. A fertilidade do amor quebra barreiras. DIVINO! Num mundo onde tantas crianças e adolescentes são órfãos, eu precisava fazer algo. Eu e meu marido nos conhecemos em 2000, e em 2004 nos  casamos, ainda morávamos em Londres. Desde então já me sentia grávida do coração. No final de 2006 decidimos voltar ao Brasil para entrar com o processo de adoção. Não sabíamos dos trâmites, porém quando chegamos no fóro fomos informados que se mudássemos de estado teríamos que entrar com o processo novamente no novo local. Na época ainda não existia o Cadastro Nacional de Adoção, que entrou em vigor em 2009. Não ficamos sabendo dessa mudança, então somente em 2011 entramos com o processo de Habilitação para Adoção, TENTANTES.

Muita espera, muita angústia, pois me sentia SUPER GRÁVIDA DO CORAÇÃO mas não sabia expor os sentimentos, as pessoas não me viam como uma gestante. Foi então que comecei a pesquisar sobre gestação emocional, psicológica, entre outros termos, porém só encontrava informação para este tipo de gestação nos cães!!! Encontrei alguns textos em sites estrangeiros e por isso decidi criar um blog. Um local para expor meus sentimentos e ajudar outras pessoas que estivessem passando pelo mesmo que eu. Na minha cabeça não fazia sentido eu ser a única a me sentir grávida. Enfim, ao criar o blog, pessoas foram se juntando e expondo os seus sentimentos de gestante do coração e fomos formando um grupo de pessoas com os mesmos sentimentos e as mesmas motivações: FORMAR UMA FAMÍLIA ATRAVÉS DA ADOÇÃO. Nove meses depois fomos Habilitados à Adoção, recebemos o nosso POSITIVO!

A partir de então fui buscando informações e formando conceitos, buscando expressar o que sentimos e incluir a nossa gestação junto com as demais. O Estado enxerga os adotantes como um processo, porém somos MUITO ALÉM! Somos famílias gestando seus filhos, mesmo que eles cheguem com mais idade, mesmo que cheguem adolescentes. Estão sendo gerados nos corações de seus pais, passarão por um parto do coração e serão muito amados! O nosso pré-natal também deve ser levado à sério. Na maioria dos casos esperamos mais do que nove meses. Precisamos de apoio psicológico para vivenciar esta enxurrada de sentimentos de uma gestação invisível aos olhos dos outros. Como não vêem a barriga crescendo, não nos enxergam grávidos. Isso não é tão fácil de lidar, pois também temos a necessidade de expressar nossa felicidade, de conversar sobre maternidade e paternidade e na maioria das vezes as pessoas evitam tocar no assunto por não saberem como lidar com o desconhecido.

O desejo do meu coração é desmistificar os tabus que envolvem a adoção no nosso país. Despertar uma nova cultura para a adoção e para a gestação do coração, evidenciando a sua existência através de fatos e relatos. Luto acima de tudo, por um mundo sem órfãos pois toda criança e todo adolescente tem o direito de viver em família, cercados de amor, carinho e respeito.

Que você encontre nessa página informação, acolhimento e novas ideias!

Com amor, Luciane Moreira Cruz

noa

 

 

 

 

 

Post anterior

Adoção: Book da gestação do coração Rodrigo & Lucienne

Próximo post

Adoção & o uso de carregador de pano (sling) – conectando pais e filhos através da gestação reparadora

Luciane Moreira

Luciane Moreira

Gaúcha de nascimento, inglesa de coração. Administradora por profissão, blogueira por uma causa. Mãe dos príncipes Noah e Luca. Fui abençoada com uma família maravilhosa e amigos preciosos. Sonhadora ao exponencial infinito. Essencialmente uma caçadora de Deus. Acredito no bem e que ele sempre vence o mal, que menos também pode ser mais e que a felicidade pode sim virar rotina. Já fui mais organizada, a maternidade me trouxe outras prioridades, mas amo etiquetas organizacionais! Possuo muita determinação e persistência para lutar pelo amor e pela justiça. Amo os animais, especialmente meu cão e fiel escudeiro Johnny e a espoleta Amora. Por aqui, compartilho as experiências vividas durante o período de gestação do coração (gravidez invisível) e sobre o universo da formação de uma família através adoção. Tenhos muitos sonhos, um deles é pelo direito que toda criança tem de viver em família recebendo amor, carinho e respeito. Outro é contribuir para uma nova cultura da adoção no meu país. Desejo que você encontre aqui apoio e que saia daqui com novas ideias. Seja sempre bem-vindo!