Book da gestação do coração - adoção

“Eis que toca meu telefone… Era da vara da infância dizendo que meu filho havia nascido” – conheça a história de adoção da Ana Milione

Compartilho com vocês a linda história da Ana e do Jefre.

“Nos casamos no dia 12/06/10, sim, dia dos namorados!
Seis meses depois minha mãe teve um AVC hemorrágico e veio a falecer. Com isso passamos a pensar em ter nosso filho, afinal, eu Ana, já estava com 35 anos. Idade assustadora para muitas mulheres começarem a pensar em ter filho, principalmente sob o ponto de vista biológico.
Passados alguns meses descobrimos nossa gravidez, foi fantástico! Mas em menos de uma semana, o sonho terminou em uma mesa de cirurgia. Fui diagnosticada com gravidez ectopica, em meu caso, foi tubária. Sofremos muuuuitoooo!!!!
Mas era preciso seguir…
Passado mais de um ano sem engravidar, procuramos um especialista que nos indicou a FIV (fertilização in vitro), foram duas tentativas e dois fracassos! Sofremos absurdamente outra vez! Somente que se submete a esse tratamento sabe do que estamos falando.
Resumindo um pouco, pois daria um livro, após o tratamento fiz uma cirurgia videolaparoscopica para desobstrução da trompa, sem êxito! Muitos exames e consultas a especialistas, sem muito progresso. Após isso tive mais duas gravidezes que descobri já abortando, para então um outro especialista me pedir avaliação da hematologista, então após passar por todas essa perdas eu descobrir que tinha SAAF ( síndrome de anticorpos antifosfolipides) é uma trombofilia auto-imune, isto é, é uma patologia em que há a produção de anticorpos (elementos responsáveis pela defesa do organismo) contra o próprio corpo. Assim, esses anticorpos podem agir contra determinadas partes do organismo, como o próprio embrião (http://blog.danieldiogenes.med.br/2011/05/saaf-sindrome-de-anticorpos.htm)
Triste não? Chegar a um diagnóstico deste, somente depois de tanto sofrimento e investimento, não apenas financeiro, mas sobretudo, emocional! As vezes me pergunto até que ponto isso não é intencional.
Com tudo isso, passei a pensar na adoção, pois nosso desejo de sermos pais era latente. Confesso que havia uma reserva, uma resistência lá no meu íntimo, mas me enchi de coragem e fui conversar com meu esposo. A princípio ele disse não. Mais uma frustração para a coleção. Entre tantas dores, frustrações, sentimentos jamais experimentados, conflitos….nunca na vida pensei que viveria algo parecido. As vezes eu acordava e tinha a sensação de estar tendo um pesadelo, mas infelizmente era real!a
Mas… Foi por muito pouco tempo, graças a Deus! Meu esposo é muito dinâmico, despachado e ágil. Certo dia chegou em casa com uma lista gigante de documentos que teríamos que providenciar para darmos entrada não processo de adoção.
Três anos durou todo o nosso processo de habilitação para o cadastro no CNA e espera na fila pelo grande dia.
No dia 22/11/15 fizemos nossas fotos da gravidez do coração, ideia que descobri no blog e achei incrível! Aliás, quanta ajuda recebi nesse blog, meu Deus….só tenho a agradecer! Luciane, você é um presente de Deus em nossas vidas, viu?
No dia 23/09/15 dia em que recebi meu diagnóstico de SAAF, eu chorei muito, liguei para meu esposo que estava no trabalho e com uma agenda cheia naquele dia, e mal conseguia falar. Contava do resultado é dizia a ele o quanto estava exausta, que eu não tinha mais força para prosseguir nessa batalha. Ao desligar o telefone e ainda em lágrimas, parecia que nunca mais iria parar de chorar. Era um choro acumulado de cinco anos e como doía, como era difícil ter que aceitar que isso estaria acontecendo comigo, não bastava tudo o que havia passado? Cai de joelhos no chão e chorei copiosamente e disse: DEUS…. EU NÃO AGUENTO MAIS!!! falei honestamente, fui clara, objetiva, eu não tinha força e nem oração mais, já tinha esgotado todo meu estoque. Hoje, mais do que nunca, eu creio no “escape”de Deus! Creiam, duas horas depois dessa oração, desse derramar, dessa entrega, eis que toca meu telefone…
Era da vara da infância dizendo que meu filho havia nascido… Gente, eu fiquei em estado de choque! Ainda bem que tinha uma amiga comigo, que a essa altura meu esposo já havia providenciado para estar comigo, devido sua preocupação. Tudo o que consegui ouvir foi: Ana, seu filho nasceu! Está na maternidade e é um menino. Vocês podem vir à vara amanhã?
Esse telefonema nesse dia, mudou toda a nossa vida e história, e querem saber? Para melhor, muiiitoooo melhor!
Naquela noite eu entrei verdadeiramente em trabalho de parto, tive todos os sinais e sintomas de ansiedade (eu que sou calma), não dormi e contava as horas para poder ir encontrar as assistentes.
Acordamos bem cedo, eu para tentar organizar algumas coisas em casa, já que não sabia o dia certo que traria nosso filho para casa. Meu esposo saíra para trabalhar. As 11:00h em ponto chegamos à Vara da Infância, coração parecia que ia sair pela boca. Ao término da conversa e já com audiência marcada para o dia seguinte com a juíza, dia que conheceríamos nosso filho, que seria uma sexta-feira.
Ao sairmos dali, parecia que estávamos participando daquelas gincanas em programas de TV, onde os participantes concorrem a um grande prêmio. Meu Deus, nós não tínhamos ideia de como era fazer um míni enxoval em 24 horas. Mas tudo era motivo de muita alegria!
Duas horas depois de sairmos da Vara da infância, toca meu telefone, onde a assistente me disse que a audiência foi cancelada. GELEI, CONGELEI, TRAVEI !!! Onde a assistente disse calma, noticia boa! Seu filho não terá alta amanhã, pois terá que ganhar peso e está na fazendo fototerapia, mas a juíza dará autorização para vocês acompanharem o tratamento dele no hospital, pois agora são os pais e de lá sairão com ele direto para casa. Portanto, venham aqui na Vara agora pegar essa autorização e já podem ir conhecer o filho de vocês! CORREMOS MUITOOOO!
Ao chegarmos na maternidade fomos muito bem recebidos pela assistente social da instituição e toda equipe médica e enfermagem.
Não dá para descrever nossa felicidade ao vermos pela primeira vez nosso filho. Ele estava na incubadora e recebendo fototerapia com uma touquinha que cobria metade do seu rostinho. Só conseguimos ver do narizinho para baixo e toda a fragilidade de seu corpinho. Disseram-nos que poderíamos abrir a portinhola e tocá-lo, conversar com ele, no mesmo instante o fizemos. Meu esposo abriu a portinhola e disse filho, papai chegou, estamos aqui, pasmem, ele abriu um sorriso de canto a canto. Riso involuntário de bebês RN? Tudo bem, mas justo nessa hora? É muita sintonia não? Choramos todos, inclusive a assistente social!
Foram três dias de visitas livres à Unidade Intermediária, onde ele estava, e o amor ia só crescendo. No terceiro dia, quando chegamos para visita de rotina, ele estava de alta. Quanta alegria poder levar nosso filho para conhecer seu lar. E lá fomos nós, uma família que acabava de nascer um para o outro.
Hoje com três meses ele está em pleno desenvolvimento, saudável, alegre, calminho, uma belo presente de Deus para nossas vidas! Do sofrimento? Já não nos lembramos mais!
Abraço. Ana Regina Borges Milione”

IMG_3579 IMG_3616 IMG_3645 IMG_3663 IMG_3667 IMG_3675 IMG_3710

Post anterior

Eu Que Ti Fotografia by Jú Hobold

Próximo post

O que é apadrinhamento afetivo? Como apadrinhar uma criança?

Gravidez Invisível

Gravidez Invisível

19 Comentários

  1. março 1, 2016 em 11:14 am — Responder

    Ei Ana, vocês merecem tudo de melhor, principalmente o fofo do Miguel que está preenchendo os seus corações! Abraços, e que Deus sempre guie e ilumine o caminho dessa família linda e agora completa com o amor que vocês sempre sonharam! Parabéns.

  2. março 1, 2016 em 3:25 pm — Responder

    Que história mais linda, parabéns, me emocionei demais.Meu maridoe eu estamos gerando tb esse sonho de adotar e me inspirei muito com sua história, tenho muita vontade em meu coração, mas confesso ter tb dúvidas e medos, mas Deus irá nos conduzir.
    Beijos Deus abençoe

    • dezembro 7, 2016 em 12:26 pm — Responder

      Ola, que bom que se identificou.
      Sim, o processo é difícil, mas vai valer a pena cada passo que derem p irem de encontro com o grande amor da vida de vocês! Acreditem, tenha fé e muita esperança!
      Abraço.

    • dezembro 7, 2016 em 12:31 pm — Responder

      Olá,
      As dúvidas, medos e inseguranças fazem parte dos sentimentos que em nós habitam quando precisamos tomar decisões importantes em nossas vidas. Nedte caso, não é porque é adoção ou não. Se vc decidisse engravidar biologicamente falando, vc teria os mesmos sentimentos.
      Desejo que seu coração fale a você o que de fato importa nessa vida.
      Deus abençoe!
      Abraço.

  3. março 9, 2016 em 10:24 am — Responder

    Chorei e muito! Bela história! Abençoada por Deus! Estou no mesmo processo e orando pelo próximo filho. Beijos

  4. março 10, 2016 em 5:13 pm — Responder

    oi Ana, que história linda, maravilhosa!!! Para eu que estou há 3 anos na espera, é um conforto saber q a adoção é possível e ainda mais de um bebê recém-nascido, lindo, fofo!!!! Deus abençõe, q esta criança possa crescer em graça juntamente com a família e ser um grande servo de Deus!!!!

  5. abril 15, 2016 em 6:00 pm — Responder

    Nossa que historia linda, me identifiquei muito, pois passei por alguns problemas iguais aos seus, agora eu e meu marido decidimos adotar um bebe, seu que é um processo árduo que pode demorar anos, mais vamos entrar nessa de corpo e alma. Parabéns pra vocês e sua linda família, que Deus iluminem sempre vocês.

  6. maio 10, 2016 em 9:24 pm — Responder

    Que linda história! Quanta emoção… me senti no seu lugar. Aproveite muito esse amor.
    Parabéns pela conquista, e que Deus os abençoe poderosamente.

    • dezembro 7, 2016 em 12:21 pm — Responder

      Muito obrigada!!!
      Abraço

  7. maio 26, 2016 em 5:20 pm — Responder

    Q história linda! Parabéns pela insistência e de nunca desistir. Deus sabe de todas as coisas. e o nosso tempo, não é o msm tempo de Deus. Só precisamos nos manter firme, com fé sempre, é seguirmos em frente. Pedindo força, saúde!!! Eu e o meu esposo estamos tbm nessa grande luta. Estamos à 7 meses no cadastro cna, aguardando a nossa florzinha chegar. É muita ansiedade. Mas sei q Deus vai fazer ela chegar até nós!!! E estaremos aqui de coração aberto p recebe- lá. Bjs.

    • dezembro 7, 2016 em 12:18 pm — Responder

      Olá, que bom q leu nossa história, obrigada!
      A fé é fundamental para prosseguirmos nessa jornada. CREIA, quando seu grande dia chegar, verá que não terá sido em vão, nada do que chegou a experienciar. Vai valer muito, muito a pena!
      Deus abençoe!
      Abraço!

  8. junho 23, 2016 em 10:59 pm — Responder

    Emocionante, histórias como essa nos estamos no caminho certo, estamos iniciando o processo, mas já imagino o dia que tivermos com nosso filho no colo , vai ser lindo…

    • dezembro 7, 2016 em 12:14 pm — Responder

      Olá, obrigada pelo comentário!
      Sim, qd resolvi compartilhar nossa história a ideia era justamente esta, levar um pouco de esperança é motivação a outras pessoas.
      Tenha fé, esperança e sobretudo nunca deixe de acreditar no poder do amor, que tudo pode transformar.
      Abraço.

  9. agosto 6, 2016 em 10:07 pm — Responder

    Nossaaaaa….chorando litros…Que história linda…meu Deus. ..não vejo a hora de passar por esse momento. Também fiz 3 Fivs….frustração total…agora aguardo minhas entrevistas no Fórum

    • dezembro 7, 2016 em 12:07 pm — Responder

      Olá, desculpe pela demora em responder. Muuuitooooooo obrigada pelo carinho!
      Jamais desista! Em momentos de dor, lembre q temos um Deus que nos ampara e utiliza nossas lágrimas para regar a semente de amor e esperança que Ele mesmo plantou em nossos corações, portanto, suas lágrimas nunca serão em vão.
      Grande abraço!

    • dezembro 7, 2016 em 12:10 pm — Responder

      Olá, desculpe pela demora em responder. Muuuitooooooo obrigada pelo carinho!
      Somente quem passa por esses tratamentos sabe o quão doloroso e solitário é este processo, dessas experiências cheguei a criar um grupo de apoio no whatsapp e tem sido maravilhoso poder ajudar outras pessoas.
      Jamais desista! Em momentos de dor, lembre q temos um Deus que nos ampara e utiliza nossas lágrimas para regar a semente de amor e esperança que Ele mesmo plantou em nossos corações, portanto, suas lágrimas nunca serão em vão.

      Grande abraço!

  10. fevereiro 5, 2017 em 11:57 pm — Responder

    Que linda história . Me emocionei S2
    Estou ansiosamente esperando pela minha hora. Vou fazer meu book na próxima semana

  11. fevereiro 28, 2017 em 6:34 pm — Responder

    Nossa, quanta graça receberam diante de Deus. Graças a Deus!
    Parabéns família. Seja muito, muito abençoado nenê!
    Estou muito feliz por vocês e. de certa forma ate com inveja, mas é uma inveja boa. Sim. Acredite, pois a atitude de vocês dois me entusiasma, amima com força e Fé que ser mãe é possível. Lindo depoimento seu Ana.
    Nossa, ele sorriu para vocês, uau, indescritível, não d nem p/ descrever, né!? Fico só imaginando isso…
    Obrigada por compartilhar tudo, sofrimento e FELICIDADES. Nossa Senhora oriente vocês sempre. Deus os proteja!
    Abraços,

    Cláudia

  12. junho 6, 2017 em 4:59 pm — Responder

    Estou me acabando de emoção!!!
    Lindo lindo lindo….
    Que Jesus abençoe cada vez mais está família….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *