Cristianismo e adoçãoDestaque

Adoção & Cristianismo: Toda igreja deveria ter um ministério com foco nos órfãos

No primeiro post que abordei o tema “Adoção & Cristianismo – falta de fé ou chamado” recebi inúmeros comentários, emails e mensagens. E após alguns meses a mensagem continua alcançando muitas pessoas.

Em virtude disso, resolvi escrever uma continuação sobre este tema.

Adoção & Cristianismo: Toda igreja deveria ter um ministério voltado para os órfãos!

A Bíblia fala claramente a respeito de cuidarmos dos órfãos.

O significado da palavra “Órfão” no dicionário Informal é: Condição da pessoa que perdeu a proteção, orientação e referência moral, espiritual do pai e da mãe em fase de infância e adolescência. E o dicionário Aurélio diz que orfão quer dizer: Privado, abandonado, desamparado.

Origem da palavra Órfão, a etimologia: Do latim. _orphanus_

A tradução da palavra “órfão” para o inglês é “orphan” ou “fatherless”, e a Bíblia refere-se aos órfãos usando a palavra “fatherless” que significa “father = pai” + “less = menos/sem” ou seja os órfãos são os “os sem pai”.

Veja que em Salmos 68.5 a palavra diz “Pai de órfãos e juiz de viúvas é Deus, no seu lugar santo.” e em inglês o mesmo versículo usa ““A father to the fatherless, a defender of widows, is God in his holy dwelling.” Ou seja, Deus é um Pai para os sem pai!

Tem uma música linda chamada “Father to the fatherless” do Jason Upton , um músico que foi adotado por uma família cristã e que fala sobre adoção lindamente.

 

Qual o papel de um ministério voltado para os órfãos na igreja:

  • Oração: orar pelas crianças e adolescentes que estão vivendo sob os cuidados do Estado para que os mesmos recebam todos os cuidados que merecem durante o período que estão numa casa de acolhimento. Orar para que os processos jurídicos sejam prioridades das equipes técnicas responsáveis e que não se arrastem por anos como tem acontecido no Brasil. Orar para que cada criança e adolescente encontre uma família que a ame incondicionalmente, e que possa dar uma chance de recomeço por meio da adoção, assim como nós fomos adotados pelo Pai por meio de Cristo. “Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade”Efésios 1:5
  • Doação financeira: Doação de recursos financeiros para as casas de acolhimento. Muitas casas de acolhimento foram abertas por pessoas “comuns” e que lutam para conseguir recursos do Estado. A igreja pode destinar parte dos seus recursos para dar um suporte financeiro.
  • Trabalho voluntário: Doação de tempo. Servir como um voluntário numa das instituições também pode ser uma forma de ajudar. “A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” Tiago 1:27

Family-Slide

  • Apadrinhamento afetivo: Membros da igreja podem apadrinhar afetivamente crianças e adolescentes que vivem em casas de acolhimento e que ainda não estão com o seu processo judicial definido. Nem toda criança e adolescente que está num abrigo está para adoção. Algumas estão em processo de reinserção nas suas famílias biológicas, outras estão aguardando o andamento do processo judicial de destituição de pátrio poder para serem encaminhadas à adoção. Segundo o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) este período deve ser de até 2 anos, mas sabemos que os processos no Brasil podem demorar bem mais do que isso. Saiba mais: http://gravidezinvisivel.com/o-que-e-apadrinhamento-afetivo-como-apadrinhar-uma-crianca/
  • Encorajamento e suporte para que as famílias adotem: Adoção é chamado! Nem todos foram chamados para a adoção, mas com certeza tem muito mais pessoas que poderiam
    Fliveactionnews.org

    Fliveactionnews.org

    adotar! Falei sobre isso neste post “Adoção falta de fé ou chamado?” As famílias cristãs precisam aprender biblicamente sobre a sua própria adoção pelo Deus Pai por meio de Jesus. Assimilado isso, aquelas que entendem que tem o chamado para aumentar as suas famílias por meio da adoção, devem ser encorajadas, e não o contrário! Dos relatos que recebo e até mesmo do que vivenciei, muitos cristãos não tem recebido apoio nas suas igrejas quando decidem adotar. Outros pensam que a adoção deve ser somente para pessoas que enfrentam problemas com a infertilidade. A Bíblia não fala isso. A Bíblia fala que Deus é o Pai dos sem pai e que “A ti se entrega o pobre, tu és o auxílio do órfão.” Salmo 10-17-18. As famílias podem ser formadas por filhos biológicos, ou por filhos que chegaram por meio da adoção ou por AMBOS, afinal “Todos os filhos são biológicos e todos os filhos são adotivos. Biológicos, porque essa é a única maneira de existirmos concreta e objetivamente; adotivos, porque é a única forma de sermos verdadeiramente filhos.” Luiz Schettini Filho.

  • Formação de um grupo de apoio à adoçãoformar um grupo de apoio para as famílias que pretendem adotar e para as famílias que já adotaram para que elas tenham todo o suporte necessário, uma vez que infelizmente as equipes técnicas das varas da infância não dão conta de oferecer este suporte constantemente.
  • Mobilização: Entender a atual situação da adoção no país e tentar buscar melhorias no sistema e na legislação.

Temos exemplos reais de que esse chamado já começou a ser exercido no Brasil!

  1. Instituto Hope House sob a liderança da Themis Duranti da Igreja Bola de Neve
  2. Instituto Adotar sob liderança da Mônica Rodrigues Corrêa da Igreja Batista Getsemani
  3. Brasil sem órfãos sob a liderança do David Santos do MEVAMadotados-livro-244x350

 

Recomendo a leitura do livro Adoção – Sua extrema prioridade para as famílias e igrejas cristãs do autor Russel D. Moore da Editora Monergismo. Você encontra aqui: http://editoramonergismo.com.br/?product=adocao

“Um livro que aborda com convicção e clareza duas questões simultaneamente: adoção e o evangelho. Convincente, desafiador e motivador. Deveriam existir cópias dele em toda biblioteca e livraria das igrejas ” – Derek W H Thomas PhD, Professor de Teologia Histórica e Sistemática (RTS)

“A religião que Deus, o nosso Pai aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo.”  Tiago 1:27

Se quiser falar mais sobre este assunto, fico à disposição, escreva para luciane@gravidezinvisivel.com

Com amor,

Luciane Moreira Cruz

Autora do blog Gravidez Invisível que visa despertar um novo olhar para a adoção no Brasil.

Post anterior

Adoção x Devolução: Toda relação é uma construção - por Heloisa Sampaio

Próximo post

Quero adotar, como é o processo de adoção?

Luciane Moreira Cruz

Luciane Moreira Cruz

Gaúcha de nascimento, inglesa de coração. Administradora por profissão, blogueira por uma causa. Venturosamente esposa do Filipe e mãe dos príncipes Noah e Luca. Fui abençoada com uma família maravilhosa e amigos preciosos. Sonhadora ao exponencial infinito. Essencialmente uma caçadora de Deus. Acredito no bem e que ele sempre vence o mal, que menos também pode ser mais e que a felicidade pode sim virar rotina. Já fui mais organizada, a maternidade me trouxe outras prioridades, mas amo etiquetas organizacionais! Possuo muita determinação e persistência para lutar pelo amor e pela justiça. Amo os animais, especialmente meu cão e fiel escudeiro Johnny e a espoleta Amora. Por aqui, compartilho as experiências vividas durante o período de gestação do coração (gravidez invisível) e sobre o universo da formação de uma família através adoção. Tenhos muitos sonhos, um deles é pelo direito que toda criança tem de viver em família recebendo amor, carinho e respeito. Outro é contribuir para uma nova cultura da adoção no meu país. Desejo que você encontre aqui apoio e que saia daqui com novas ideias. Seja sempre bem-vindo!

14 Comentários

  1. agosto 24, 2016 em 7:49 am — Responder

    Muito bem boas ações

  2. agosto 24, 2016 em 10:37 am — Responder

    Parabéns, Luciane!
    Lindo artigo.
    Defino a palavra Adoção como a junção de duas outras : adoçar coração.

    Deus a abençoe.
    Bj.

  3. agosto 24, 2016 em 2:47 pm — Responder

    Lu,

    Que alegria quando vejo um texto novo aqui no blog! Saiba que o Gravidez Invisível é sim um ministério e tem abençoado ricamente a minha vida durante essa espera! Que Deus continue motivando e transbordando do amor Dele no teu coração! Pois dessa forma, você acalenta os nossos… Fica na paz! Um grande beijo.

  4. agosto 24, 2016 em 5:30 pm — Responder

    Olá. Desejo muito ser mãe mas infelizmente meu marido e eu não conseguimos engravidar. Tenho 41 anos e sou casada a 19. Já conversamos muito a respeito da adoração mas ainda tenho medo. Gostaria muito de ajuda pra poder esclarecer melhor e quem sabe me sentir encorajada a tomar essa decisão.

    • agosto 27, 2016 em 8:59 pm — Responder

      Olá! Penso que toda mulher tem o desejo de ser mãe. Compreendo perfeitamente você, porque senti esse desejo desde sempre. Me inscrevi na fila de adoção, respondi a todos os questionamentos, esperei durante anos, e toda a vez que eu me dirigia ao fórum pra perguntar sobre o andamento do processo, dificilmente era atendida, mas, quando conseguia encontrar um atendente, sempre me diziam pra esperar… O processo é demorado, participei de cursos, mas o tratamento das assistentes sociais é para desestimular quem queira adotar. Minha experiência com as assistentes sociais foi muito desgastante e sinto não ter filmado para provar a forma como fui tratada em todas as entrevistas, especialmente as últimas!. Amiga, se você ama crianças, mas, como disse, tem “medo” de adotar, faça um trabalho voluntário com crianças e seja feliz! Abraços e Deus te ilumine!

  5. agosto 24, 2016 em 9:49 pm — Responder

    Parabéns pela iniciativa de abordar um tema tão pouco falado nas igrejas. De fato, é preciso que nós cristãos saíamos da zona de conforto pra praticar a verdadeira religião. Deus abençoe!

  6. agosto 25, 2016 em 5:26 am — Responder

    Excelente artigo, Luciane. Deus te abençoe e saiba que eu também desejo adotar uma ou duas crianças, se Deus permitir. E adotar afetivamente várias, como filhos do coração.

  7. agosto 25, 2016 em 3:48 pm — Responder

    Luciane,
    Me emociono em ver que não estamos sozinhos nessa revelação. Temos procurado divulgar esse sonho de Deus e ouso em afirmar que se cada família que segue a Cristo entendesse o nosso chamado, não haveria mais órfãos. Sei, por experiência, que os desafios são grandes, mas Ele mesmo nos alertou dizendo que no mundo teríamos aflições, mas também no encorajou há termos bom ânimo, pois Ele venceu o mundo. Amo amar, que adotar é uma manifestação desse amor. Vamos unir forças, queremos ajudar e continuar a anunciar que todos nós fomos adotados e podemos fazer mais do que já fizemos até aqui.

  8. agosto 25, 2016 em 3:50 pm — Responder

    Luciane,
    Me emociono em ver que não estamos sozinhos nessa revelação. Temos procurado divulgar esse sonho de Deus e ouso em afirmar que se cada família que segue a Cristo entendesse o nosso chamado, não haveria mais órfãos. Sei, por experiência, que os desafios são grandes, mas Ele mesmo nos alertou dizendo que no mundo teríamos aflições, mas também nos encorajou há termos bom ânimo, pois Ele venceu o mundo. Amo amar,e a dotar é uma manifestação desse amor. Vamos unir forças, queremos ajudar e continuar a anunciar que todos nós fomos adotados e podemos fazer mais do que já fizemos até aqui.

  9. agosto 26, 2016 em 6:30 am — Responder

    Lindo texto, que Deus te abençoe e te capacite a cada dia para esse ministério!
    Priscila
    São Paulo

  10. agosto 27, 2016 em 12:08 am — Responder

    Lindo Post .amei !!Que Deus te abençoe e te use cada vez mais ,neste trabalho lindo ,que admiro muito !!Quero trr um dia a oportunidade de fazer parte de um trabalho como esse.bjs ass.Sabrina Franco

  11. agosto 27, 2016 em 7:33 pm — Responder

    Seria maravilhoso está no coração de Deus, espero que um dia o povo entenda…adoção é adoçar vidas….tenho esta experiência é muito bom…..adoçou a minha vida….Que Deus os capacite mais e mais !!!!

  12. agosto 27, 2016 em 9:19 pm — Responder

    Sim, cuidar e dar amor aos órfãos deveria ser uma missão de todo cristão! Mas a lei e os juizados criam muitas restrições, e nem sempre é fácil ao cidadão de bem manifestar amor aos pequeninos. Não sei como funciona em outras cidades, mas em Florianópolis, se você quiser visitar lares de crianças abandonadas, você precisa se inscrever, fazer um curso e ter autorização do juizado da infância e juventude. Mas, se você tiver alguma pretensão à adoção, é proibido de visitar lares… Esse é a realidade! Mas, é claro, ajuda financeira e apadrinhamento sempre são bem vindos para as casas de acolhimento. Minha experiência nesse assunto faz concluir que, e melhor contribuição para essas crianças, é o amor pela oração! Para que possam se sentir amadas e sejam logo encaminhadas para uma família que lhes dê amor!

  13. setembro 10, 2016 em 4:26 pm — Responder

    Concordo plenamente contigo, infelizmente conheço poucas igrejas que fazem algo nesse sentido, muitas podem até manter abrigos, mas parece que não criam outro tipo de vínculo.
    Eu participava de uma comunidade religiosa, uma vez, quase fui ‘exorcizada’ pq disse que queria adotar, e a mesma comunidade ajuda a manter um orfanato, pensei na hora: Eles ainda não entenderam, e limitam o amor a prestar apenas um serviço. Se a ideia já não aceitam, imagine aceitar os filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *