Book da gestação do coração - adoção

Adoção: Book da gestação do coração Sílvio & Priscilla

Sempre quis ser mãe, acho que está na minha essência desde criança, desde que me conheço por gente. Mas como a maioria das mulheres contemporâneas, me deixei levar pela imposição da sociedade de que faculdade, carreira, estabilidade financeira vinham na frente do filho, além de um marido e um casamento. Claro, hoje tenho a consciência de que cada coisa ocorre no seu devido momento, não era aquela a época para eu ser mãe. Me formei, fiz 2 pós graduações, me casei, busquei a carreira que achava que me faria feliz, me estabilizei financeiramente, me separei. Conheci uma pessoa especial e logo no começo do namoro já disse: “Não quero demorar para ter filhos, e saiba que meus filhos também virão por meio da Adoção, quero adotar um filho e isso é fato pra mim”. Ele não titubeou e entro no barco comigo, uma vida cheia de sentimentos, aprendizados e companheirismo. Tentamos por alguns anos a gestação “natural”, e por diversos anos a “reprodução assistida”, e entre uma e outra iniciamos nosso preparo para a Gestação do Coração. Levamos todos os documentos necessários e aguardamos os novos passos: curso para futuros pais adotantes, entrevista com a Assistente Social, visita à nossa casa, finalização do estudo psicossocial, sentença judicial, inclusão no Cadastro Nacional da Adoção, intimação… 
Nesse meio tempo, 2 cirurgias para retirada de focos de endometriose, 1 Inseminação Artificial (além das outras 3 que já tinha feito, 2 com gestações não levadas à diante) e 1 Fertilização in Vitro sem sucesso, que me levaram a parar, sentar, questionar, olhar para dentro de mim e refletir. A única certeza que me vinha na cabeça era de que eu seria mãe. Foi nessa hora que descobri que para mim não importava como o meus filhos chegariam, e assim comecei a viver a minha Gestação do Coração com plenitude. A partir desse momento “assumi” minha gestação perante a sociedade, que muitas vezes tenta fazer com que essa gravidez se torne um pouco invisível, e as gestantes se tornam mulheres solitárias deslocadas no convencional “gestante = a barriga”. Comecei o Blog Mamy Antenada para dividir coisas que eu gosto e também como forma de desabafo enquanto estava nos processos de reprodução assistida, mas hoje ele virou um Diário da Gestação do Coração, e vi que não estou sozinha nessa gestação. Milhares de mulheres como eu estão dando voz (e letras) à esse gestação linda, prazerosa, aguardada, compartilhada, que deve ser vista como uma gestação normal, apesar de não ter data prevista para o parto, não saber o sexo da criança, muitas vezes a idade certa, ou quantos virão. É uma gestação também de preparo e busca de informação, e é o que tento compartilhar no Blog. Nosso positivo chegou!!  2 anos, 8 meses e 6 dias após o primeiro passo, em novembro de 2014. Aguardamos ansiosos por nossos filhos, pois é, por aqui podem ser mais que um! Estou vivendo minha gestação com plenitude, alegria e paparicos, e claro driblando a ansiedade.
 E voltando ao segundo parágrafo: “hoje tenho a consciência de que cada coisa ocorre no seu devido momento” e sei que chegará o momento certo de ser mãe (meu coração diz que é em breve!). Priscilla e Sílvio
mg_6419-2 mg_6451 mg_6398 mg_6442 mg_6335 mg_6386
Post anterior

Não espero que os meus filhos sejam gratos pela adoção mas sim gratos indivíduos

Próximo post

Adoção & Book da gestação do coração

Gravidez Invisível

Gravidez Invisível

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *